bíblia on-line

HANUKKAH: Festa das Luzes, Festa da Dedicação – Pr. Manassés Moreira


img-20161220-wa0001“Neste domingo estaremos celebrando em nossa Igreja a “Festa das Luzes”, o Hanukah (Lê-se: Ranucá), mas o que significa esta festa judaica para nós? Antes de tudo precisamos compreender o seu contexto histórico.

A palavra hebraica Hanukah significa consagração ou dedicação. Esta festa é também conhecida no meio judaico como Festa das Luzes. Em João 10:22,23 vemos Yeshua (Jesus) passeando no Templo na comemoração da Festa da Dedicação: E em Jerusalém havia a FESTA DA DEDICAÇÃO, e era inverno. E Jesus andava passeando no templo, no alpendre de Salomão. João 10:22,23

Essa passagem é a única passagem bíblica no Novo Testamento que se refere à referida festa. Não encontramos esta celebração na Torá (Pentateuco) porque o fato que deu origem a esta festa ocorreu no ano 162 A.C.

Vindo da Macedônia, o império grego expande-se de maneira significativa, conquistando desde o Egito, Oriente Médio, até a Índia. Depois da morte de seu grande Imperador, Alexandre (336-323 a.C.), vários generais lutam pelo controle do Império. O imperador selêucida, Antiochus Epiphanes (175-163 a.C.), conquista o domínio sobre a região do Oriente Médio e investe fortemente contra toda a região da Judéia, impondo os costumes, as tradições, a religião e o pensamento grego Helenístico. Para os judeus, ele proíbe a circuncisão, a observância do Shabat, todas as restrições de comida (Kashrut), e estipula que apenas porcos poderiam ser sacrificados no Templo. Ele mesmo, num gesto de desrespeito e profanação, oferece um porco como sacrifício a Zeus, no interior do templo, no Santo dos Santos. Todos os utensílios do interior e exterior do templo são retirados, e o local passa a ser mais um templo do deus grego Zeus.

Certo dia, um oficial sírio ordena que Matitiahu Ha Macabí (Mateus, o Martelo ou o Macabeu), cabeça de uma importante família de sacerdotes do Templo, oferecesse um porco no altar. Matitiahu, juntamente com seus cinco filhos, dão início a uma revolta judaica, matando o oficial sírio e todos os seus soldados. Sob a liderança de Matitiahu, outros judeus aderem à revolta. Por oito anos o exército dos Macabeus lutou pela libertação de Jerusalém e de Israel. Após a morte de Matitiahu, seu terceiro filho, Yehuda Há Macabí (Judá, o Macabeu), assume o controle da revolta e leva o exército dos Macabeus à vitória sobre o exército grego-sírio no ano de 165 a.C.

Livres então do domínio e da ocupação do exército grego-sírio, os macabeus dão início à purificação do Templo em Jerusalém. No dia 25 do mês de Kislev (Dezembro), no ano 162 a.C., eles realizam com grande celebração a re-dedicação do Templo com a consagração de um novo altar. O fogo foi novamente aceso na menorá, o grande candelabro do interior do templo. Mas o único óleo de oliva achado no templo e consagrado para queimar na menorá era suficiente para mantê-la acesa por apenas um dia e levaria no mínimo uma semana para se preparar mais óleo. Então, por um milagre do Deus Todo Poderoso, o fogo na menorá continuou queimando por mais 8 dias, tempo necessário para a preparação do novo óleo, vindo de outra cidade.

Por esta razão os judeus comemoram esta festa de re-dedicação do templo durante 8 dias em memória ao tempo em que o azeite durou milagrosamente aceso na menorá. A festa vai da véspera de 25 de Dezembro até 01 de Janeiro.Por isso, acende-se uma menorá de 9 pontas, uma das pontas é chamada de shamash (atendente, servo) vela responsável por acender todas as outras 8 pontas da menorá.

Mas o que esta festa nos ensina como discípulos de Yeshua (Jesus)? Como vimos o tema central da festa é a re-dedicação do templo e quem é o templo? A Bíblia nos leciona em I Coríntios 6:19-20 que nós somos o Templo do Espírito Santo e nesta celebração temos a oportunidade de nos re-consagrarmos re-dedicando nossa vida ao Senhor Todo Poderoso. Não que precisemos de um dia para isto, mas de forma coletiva, como igreja, é uma forma de nos colocarmos ainda mais aliançados com o Senhor da glória. A festa também aponta para algo que Jesus falou sobre nós e sobre Ele mesmo: Falando novamente ao povo, disse Jesus: “Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue, não andará em trevas, mas terá a luz da vida. (João 8:12)” e ainda sobre nós Ele diz: Vós sois a luz do mundo. Uma cidade edificada sobre um monte não pode ser escondida. (Mateus 5:14).

A Festa da Luzes portanto nos traz a memória de que alimentados (shamash) pela Luz do Mundo (Yeshua), acesos por Ele, como luzeiros do mundo, possamos resplandecer como astros no mundo! …para que vos torneis puros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis, vivendo em um mundo corrompido e perverso, no qual resplandeceis como grandes astros no universo. (Filipenses 2:15).

Venha celebrar conosco! Venha reavivar a chama que já está acesa em você! Neste domingo (25), teremos um musical lindíssimo, às 18h, e em seguida celebraremos a Ceia e a Festa das Luzes, a Hanuká!

Deus os abençoe”

Pr. Manassés Moreira


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *